"Somos Católicos... Bem Vindo à Sua Casa!!"

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

01 de Novembro - Dia de Todos os Santos

Galera,

Quem foi à Missa ontem???

Bom, para os que foram, vimos que foi celebrado o Dia de Todos os Santos, certo??

Aproveitando a deixa, segue um texto do Prof. Felipe Aquino à respeito desse dia tão importante!!

Os santos sabem de tudo?
FELIPE AQUINO

Hoje, a igreja comemora o “Dia de todos os santos”. No céu, os santos sabem, através da comunhão com Deus, de nossas condições aqui na terra. Eles participam da comunhão e do interesse de Deus por nós. Sendo assim, os santos, que tanto se assemelham a Deus no seu amoroso interesse por nós, também acompanham as nossas lutas.

Tanto nós podemos invocá-los, como também eles podem ouvir as nossas preces. Como? É claro que os santos não são oniscientes e nem onipresentes. Ou seja, nem sabem de tudo, nem estão em todo lugar ao mesmo tempo. Mas no céu todos os seus desejos razoáveis são satisfeitos pelo poder de Deus. É razoável que eles desejem conhecer os pedidos a eles dirigidos. Então, Deus os habilita a conhecer as nossas preces.

A perfeita comunhão com Deus permite aos santos conhecer nossos pedidos e interceder por nós. Eles não estão dormindo. A alma não dorme. A Carta aos Hebreus ensina: “Está determinado que cada um morra uma só vez, e em seguida vem o juízo (de Deus)”. É óbvio que logo após a morte a alma não será julgada por Deus dormindo.

O tempo e a distância não são empecilhos para que os santos ouçam nossas preces e nos socorram com sua intercessão. Na vida eterna não existe mais a limitação do tempo e do espaço. Por mais secretas que sejam, eles conhecem as nossas preces e estão prontos para nos ajudar por mais desesperada que seja a nossa necessidade.

Talvez o fato mais importante de todos seja exatamente que eles “podem” nos ajudar. Eles são amigos de Deus, muito chegados a Ele pela sua santidade, que os fez “participantes da sua natureza divina”, como diz São Pedro.

Que fique claro: o santo intercede diante de Deus, mas é Deus quem faz o milagre. Precisamos conhecer as vidas dos santos e precisamos invocá-los em nossas necessidades continuamente. Devemos fazer todo esforço para nos lembrar deles. As imagens e os quadros são grandes auxílios. Seus exemplos nos inspiram e nos convidam à oração.

Dias especiais de honra tributada aos santos particulares renovam o nosso interesse por eles. Novenas, demonstrações públicas especiais, procissões, a coroação da imagem da Santíssima Mãe de Deus no mês de maio, as peregrinações aos santuários, a dedicação de igrejas a um santo particular - todos esses são apenas alguns dos meios honestos, humanos, de nos ajudar a recordar e imitar os santos.

Santa Teresa de Ávila, doutora da igreja, tinha devoção especial a São José e a Santo Agostinho. Do mesmo modo as pessoas costumam se interessar pelos santos que levam seus nomes, também o santo no céu se interessa por aqueles que trazem o seu nome na terra e os ajuda.

Além das pessoas, os grupos também têm patronos. A piedade cristã tem sugerido que certas profissões sejam colocadas sob a proteção de Santos que tiveram similar estado na vida. Os médicos são abençoados tendo como seu padroeiro São Lucas, “o médico caríssimo” e companheiro de São Paulo.

Santo André é o padroeiro dos pescadores, como é apropriado; São José, dos carpinteiros e trabalhadores de modo geral; São Marcos, dos escrivães públicos (ele era como que secretário de Saõ Pedro); São Cristóvão tornou-se padroeiro dos motoristas; Santo Estevão, que foi o primeiro cristão a morrer pela sua fé - foi apedrejado até morrer - tornou-se o santo padroeiro dos pedreiros; São Dimas, o bom ladrão, tornou-se o padroeiro dos condenados à morte; Santo Isidoro protege os agricultores; São Crispim, os sapateiros; São Vito, os comediantes. Veja como a igreja dá importância à proteção dos santos.

Quando se pretende comemorar o Dia de todos os santos, é preciso que se saiba que ser santo é possível a todos os batizados. Muitos santos não foram tão santos antes de se colocarem nesse caminho. Um santo vence a fraqueza. Por isso, a igreja católica não hesita em examinar no processo de beatificação minuciosamente tudo o que o candidato a santo fez.

Em cada santo encontramos uma singularidade. Nenhuma classe tem o monopólio da santidade. Portanto, é importante nos espelharmos nesses exemplos para nos tornarmos mais santos.

Abraços

Um comentário:

Carina Resende disse...

Gostei Ricardo dsta forma.....um pedaço do texto e o resto oculto......
abraços
Carina